• +55 (55) 3220-8924
  • contato@inriufsm.com.br
  • Seg - Sex: 8:00 - 17:00

As cidades inteligentes e a energia solar: uma combinação do futuro

As cidades inteligentes:

Com um conceito inovador, as cidades inteligentes são automatizadas e mais sustentáveis. Visam manter o desenvolvimento econômico e, ao mesmo tempo, melhorar a qualidade de vida da população. Para isso, utilizam da tecnologia como uma aliada. Algumas características de cidades inteligentes:

  • Iluminação pública inteligente
  • redes inteligentes de eletricidade e água
  • produção de energia solar e eólica
  • monitoramento da qualidade do ar e da água
  • carros elétricos
  • ciclovias e corredores verdes ao longo da cidade

Grande parte das cidades inteligentes que existem hoje possuem metas ambientais, como a redução da emissão de poluentes e do consumo de água. A ideia é que, nesses locais, tudo é repensado para corrigir as estruturas existentes que não atendem aos padrões e tecnologias ecológicas sustentáveis. Assim, o planejamento urbano e as tecnologias atuais unem-se de forma que seja possível obter o máximo de eficiência e bons resultados.

A energia solar é indispensável para as cidades do futuro: 

Em um futuro próximo, as cidades desejam e estão trabalhando para se transformarem em cidades inteligentes, limpas e sustentáveis. E a tecnologia da energia solar, como fonte de energia renovável, é um fator crucial para que isso aconteça.

Pode-se dizer que a energia solar é a fonte de energia renovável mais ágil e prática. Pode ser adicionada facilmente a diversas partes de uma área sustentável, como garagens solares, postes, carregadores de dispositivos eletrônicos abastecidos por energia solar e imóveis com sistema solar fotovoltaico. Além disso, a perda de energia é muito baixa, visto que o sistema fotovoltaico é instalado próximo ao seu ponto de consumo.

Assim, a implementação de sistemas solares nas cidades inteligentes não é em vão. A união de tecnologia e praticidade torna a experiência dos consumidores muito melhor.

Leia também: Usinas Fotovoltaicas impulsionam economia no semiárido brasileiro.

As cidades inteligentes que já existem atualmente unem a consciência ecológica e energética com tecnologias que facilitam a vida da população. Dessa forma, as casas possuem painéis solares embutidos, que fornecem energia para a residência e ainda armazenam o excedente em uma bateria para uso posterior.

A aplicação de sistemas fotovoltaicos dispensa o uso de grandes áreas de terra que precisam ser alagadas ou desmatadas, como acontece nas hidrelétricas. Dessa maneira, é possível obter uma geração eficiente em várias usinas menores, próximas à cidade ou nas próprias residências e construções.

A expectativa é de que a inserção de sistemas solares se torne cada vez mais comum entre as cidades no futuro. 

Exemplos que já existem:

A cidade de Fujisawa, no Japão, é uma smart city.  Localizada a cerca de 50 km da capital Tóquio, a cidade inteira funciona de forma inteligente. Assim, conta com serviços de compartilhamento de carros e bicicletas elétricas, casas abastecidas por energia solar e os moradores têm até incentivo financeiro para reduzirem o consumo de energia.

casas de Fujisawa com painéis solares em seus telhados.

residências com painéis solares em Fujisawa, Japão.

No Brasil, a smart city Laguna, localizada no Ceará, possui grande potencial de desenvolvimento. Em suma, é a primeira cidade inteligente a oferecer lotes a preço popular, abarcando até o programa governamental Minha Casa, Minha Vida. 

vista área da Smart City Laguna.

O empreendimento possui no total 330 hectares e integra soluções inteligentes e práticas de engajamento social.

Novos projetos a caminho

Recentemente, a Toyota anunciou que irá construir uma cidade inteligente na base do Monte Fuji. Projetada para ser um “laboratório vivo”, a Woven City será formada por uma população de residentes e pesquisadores. No espaço, serão testadas e desenvolvidas tecnologias de robótica e mobilidade pessoal, casas inteligentes e inteligência artificial. A previsão é inaugurar a cidade até o início de 2021, com cerca de 2 mil habitantes. 

Para ser totalmente sustentável, as construções serão feitas de madeira tradicional japonesa. Além disso, para reduzir a pegada de carbono do ecossistema, serão utilizados métodos de produção robotizados para a construção. 

Em suma, os telhados de Woven City serão cobertos por painéis fotovoltaicos que gerarão energia solar. A Toyota incluirá ambientes com vegetação nativa e hidroponia em diversas partes da cidade, visando promover uma cidade ecológica. 

A previsão é de que, em um futuro próximo, mais cidades inteligentes sejam construídas e cidades “antigas” reformadas para tornarem-se ambientes mais funcionais e que não causem tantos danos socioambientais.  É fundamental que, em uma união da tecnologia e consciência ecológica, a realidade atual seja transformada, com a racionalidade de bens e a prática do desenvolvimento sustentável.

E aí, você moraria em uma smart city?

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Henrique Horst Figueira

Henrique Horst Figueira

Gerente comercial do INRI e doutorando em Engenharia Elétrica - UFSM.

4 respostas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email