• +55 (55) 3220-8924
  • contato@inriufsm.com.br
  • Seg - Sex: 8:00 - 17:00

Geração de grandes usinas de energia solar cresceu 86,6% no primeiro semestre de 2019

A geração de grandes usinas de energia solar aumentou 86,6% no primeiro semestre deste ano, de acordo com o boletim InfoMercado Mensal da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE. A produção foi de 485 MW médios em comparação aos 260 MW médios entregues ao Sistema Interligado Nacional (SIN) no mesmo período do ano passado. 

Na Bahia, líder na geração de energia solar no país, o aumento da produção foi de 88%. Assim, pulou de 92 MW médios no primeiro semestre de 2018 para a atual produção de 173 MW médios. A região do Sudeste também teve um grande salto no período, com um crescimento de 131% da geração solar em São Paulo e 94,9% no estado de Minas Gerais.

Capacidade instalada cresceu consideravelmente por todo o país

Em relação a capacidade instalada, a Bahia ampliou de 444 MW para 652 MW, crescendo 46,9%. Destaca-se também Pernambuco com o aumento de 290%, Minas Gerais com 62,2% e São Paulo com 45,7%.

Da mesma forma, outros estados também tiveram um rápido aumento em relação à capacidade instalada. Como o Ceará, que aumentou de apenas 1 MW em 2018 para 214 MW e a Paraíba, de 27 MW para 214 MW.

Em 2019, a CCEE contabilizou 86 usinas de energia solar fotovoltaica em operação comercial, representando um crescimento de 56,4% ante às 55 usinas existentes no primeiro semestre de 2018.

Recorde histórico no nordeste do país

As usinas fotovoltaicas do Nordeste tiveram um pico de produção da ordem de 94% no fator de capacidade instantâneo, suficientes para abastecer 10,3% de toda a demanda por eletricidade nos estados nordestinos. Tal feito representou um recorde histórico na região. 

De acordo com mapeamento realizado pela ABSOLAR, os estados nordestinos possuem 1,2 GW de capacidade instalada de geração solar fotovoltaica. A máxima diária chegou a 1,13 GW, com o pico de produção registrado em setembro deste ano.

Leia também: Inversores híbridos terão norma da ABNT.

Ainda segundo a entidade, a energia solar ocupa o equivalente a 1,3% da matriz elétrica do País, com 2,2 GW de potência instalada operacional em usinas solares fotovoltaicas.

Atualmente, a fonte solar ocupa a posição de 7ª maior fonte do Brasil, à frente da nuclear, por exemplo, com 1,9 GW (1,1%).

As usinas solares fotovoltaicas de grande porte operam em nove estados nas regiões Nordeste, além do Sudeste e Norte do País. Destacam-se a Bahia, Minas Gerais e Piauí.

Em suma, são 73 projetos de geração centralizada solar fotovoltaica em operação, contratados por meio de leilões de energia elétrica do Governo Federal. Segundo a ABSOLAR, os investimentos acumulados no Brasil neste segmento são de aproximadamente R$ 23,2 bilhões.

Fonte: InfoMercado Mensal da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE, Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR) e Portal Solar.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Henrique Horst Figueira

Henrique Horst Figueira

Gerente comercial do INRI e doutorando em Engenharia Elétrica - UFSM.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email