• +55 (55) 3220-8924
  • contato@inriufsm.com.br
  • Seg - Sex: 8:00 - 17:00

Inversores híbridos terão norma da ABNT

A Comissão de Estudos de Sistemas de Conversão Fotovoltaica da Energia Solar ABNT/CB-03 (Comitê Brasileiro de Eletricidade da Associação Brasileira de Normas Técnicas) está elaborando uma norma técnica para inversores fotovoltaicos híbridos. Os inversores híbridos são os que apresentam tanto características de sistemas on grid como de off grid.

A norma tratará de requisitos para operação off grid, para comutação dos modos de operação e para carregamento de baterias pela rede. Assim, a nova norma será uma complementação da ABNT NBR 16149/2013, que trata somente da conexão com a rede de inversores fotovoltaicos convencionais.

Leia também: Setor energético do Brasil está cumprindo metas ambientais, apontam especialistas.

Em suma, inversores híbridos permitem a injeção de energia na rede elétrica e, ao mesmo tempo, se conectam a um banco de baterias. Isso garante que, em momentos de falta de energia, as cargas prioritárias continuem a ser alimentadas. Portanto, além de funcionarem como um inversor fotovoltaico convencional, funcionam também como fonte ininterrupta de energia (no-break). 

Inversor híbrido ligado a painéis de energia solar e a um banco de baterias, além dos eletrodomésticos da casa. Inversores híbridos norma ABNT.

Atualmente, esse tipo de inversor é utilizado em pequena escala no país, considerando somente os requisitos da ABNT NBR 16149. Contudo, diversos outros critérios específicos são importantes para o adequado funcionamento do equipamento. Assim, a criação de uma norma é de suma importância. É uma forma de garantir que o equipamento siga as condições necessárias de segurança e qualidade, para o usuário e para a rede elétrica.

Com a redução contínua dos custos das baterias, a introdução de novas tecnologias e as mudanças previstas no sistema de compensação de energia elétrica, a tendência do mercado é que ocorra um aumento na instalação de sistemas fotovoltaicos híbridos. Dessa forma, a norma visa atender ao mercado, em especial o de geração distribuída, que aponta na direção de sistemas de armazenamento.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Henrique Horst Figueira

Henrique Horst Figueira

Gerente comercial do INRI e doutorando em Engenharia Elétrica - UFSM.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email