O promissor modelo de geração com RED

Os benefícios do uso dos Recursos Energéticos Distribuídos (RED), o sistema elétrico do futuro que aos poucos conquista seu espaço no presente.

Com o intuito de transformar a maneira de se gerar e distribuir energia, os RED são constituídos basicamente por conceitos de:

Neste modelo do RED, existe um conjunto de recursos que facilitam e podem, aos poucos, alterar o padrão tradicional do sistema elétrico conhecido.

Se o RED é do futuro, como são os modelos antigos?

Nos paradigmas de energia tradicionais, as produções de energia eram centralizadas pelas grandes instituições. Nestes, é comum uma sequência linear de como a eletricidade chegava até o consumidor:

  • Geração à Transmissão à Distribuição à Consumidores

O fluxo da energia elétrica segue somente uma direção, ou seja, é unidirecional. Logo, não existe outra forma de produzir e comercializar energia elétrica a não ser com uma grande central geradora, uma hidrelétrica, por exemplo.

Deste modo, toda energia gerada é transmitida por fios de alta tensão, e as vezes viaja distâncias enormes para chegar em consumidores mais afastados. Um dos problemas dos modelos centralizados, é justamente as populações isoladas. Em geral, para que a energia chegue até elas, são necessárias gerações de energia das termoelétricas, pouco sustentáveis. E ainda, muitas vezes, essas populações mais isoladas não tem acesso à eletricidade.

As grandes centrais geradoras termoelétrica (não renovável) se localizam próximas das comunidades, já as grandes centrais geradoras hidrelétricas (renováveis) se encontram longe dos centros consumidores. Desta forma, os consumidores finais ficam expostos aos efeitos adversos da geração termoelétrica e distantes dos benefícios da geração renovável, sendo passivos no recebimento de recursos energéticos nesta forma de distribuição.

O novo conceito e modelo do RED

Com o tempo, os modelos tradicionais de energia não conseguiram mais atender todas as necessidades e demandas dos consumidores. Com isso, as gerações distribuídas, puderam descentralizar os polos de produção de energia.

A partir disso, o consumidor passa a ser um “prosumidor”. Ou seja, no sentido da palavra, produz e consome, no caso, a energia elétrica. O mesmo se torna mais flexível, podendo também, gerar energia, armazená-la e comercializá-la.

RED
Recursos Energéticos Distribuídos (RED) imagem: Rawpixel

Ademais, com a integração dos RED, o fluxo de energia transforma-se num modelo bidirecional. Diferente do sistema tradicional, não há somente um tipo de gerador de energia. As gerações distribuídas atuam tanto na área da demanda, quanto na oferta. Existem várias fontes que possibilitam um melhoria do acesso à energia elétrica.

Dentro do RED, é comum que haja uma variedade de produção e armazenamento de energia. Alguns exemplos destas, são as energias fotovoltaicas, eólicas, sistemas de armazenamento em baterias e carros elétricos.

De acordo com o a legislação brasileira, o consumidor pode produzir sua própria energia desde 2012. Todo agente que é, permitido ou autorizado a produzir energia e está conectado ao comprador, faz geração distribuída.

Com isto, este sistema tem sido promissor e ele passou a ser considerado o modelo elétrico do futuro. Se espera cada vez mais dele.

Os principais benefícios do RED

  • O consumidor passou a produzir sua própria energia com recursos renováveis.
  • Com o RED integral, é possível tornar os sistemas mais confiáveis, seguros e desenvolver cidades inteligentes.
  • Energias sustentáveis têm tido menores, e aumento nas políticas de incentivo.
  • Gerações de emprego crescem com implantação do RED.
  • Universalização do acesso à energia e com isso, aumento da escolaridade e segurança em áreas distantes.  
  • Transmissão com redução de perdas de energia e distâncias menores, diminuindo gastos de manutenção.

Portanto, a implantação integral dos REDs ainda enfrentará diversas dificuldades e desafios, mesmo com tantos pontos positivos. Mas mesmo assim, é uma área que cresce cada vez mais e demonstra ser uma solução para muitas problemáticas ambientais e sociais.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email
Gabriel Thozzi

Gabriel Thozzi

Estudante do 4° período de Comunicação Social - Relações Públicas Estagiário de Marketing Digital no Instituto de Redes Inteligentes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email