Laboratório de Ensaios em Fotovoltaica

Coordenador

Leandro Michels, Dr. Eng.

Gerente Técnico

Anderson Severo, Eng.

Acreditação

Inmetro CRL 1322

Equipe

04

Quem somos

O Laboratório de Ensaios Fotovoltaicos do INRI – INRIFV – é referência no que diz respeito a ensaios prestados para fins de homologação de inversores e controladores de carga fotovoltaicos. Além de uma estrutura completa e uma equipe extremamente qualificada, temos expertise e estrutura para a realização dos ensaios de homologação de inversores nos moldes da Portaria 004/2011 e 140/2022 do INMETRO.

Somado a isso, o laboratório também atua realizando ensaios para programas de qualidade em inversores fotovoltaicos, ideal para distribuidores e fabricantes que buscam garantir aos seus clientes um produto de qualidade, atestado pelo maior laboratório brasileiro atuante no segmento. Ademais, o INRIFV conta com a possibilidade de aluguel do laboratório visando o desenvolvimento de inversores e controladores.

Ensaios acreditados

Portaria 004/2011 INMETRO

Os ensaios em Inversores Fotovoltaicos até 75 kW, de acordo com os requisitos definidos pelo Regulamento de Avaliação da Conformidade descritos pela Portaria INMETRO Nº357/2014, referente ao Programa de Avaliação de Conformidade para Sistemas e Equipamentos para Energia Fotovoltaica estabelecidos pela Portaria INMETRO Nº004/2011, realizados pelo INRI possuem escopo acreditado pela CGCRE do INMETRO com o número de acreditação CRL 1322 desde 08/02/2018. 

Ensaios:

  1. Cintilação 
  1. Injeção de componente contínua 
  2. Harmônicos e distorção de forma de onda 
  3. Fator de potência 
  4. Injeção/demanda de potência reativa 
  5. Sobre/sub tensão 
  6. Sobre/sub frequência 
  7. Controle da potência ativa em sobrefrequência 
  8. Reconexão 
  9. Religamento automático fora de fase 
  10. Modulação de potência ativa 
  11. Modulação de potência reativa 
  12. Desconexão do sistema fotovoltaico da rede 
  13. Requisitos de suportabilidade a subtensões decorrentes de faltas na rede 
  14. Proteção contra inversão de polaridade 
  15. Sobrecarga 
  16. Anti-ilhamento
 

2- Portaria 140/2022 INMETRO

Ensaios normatizados realizados:

  1. Inspeção visual
  2. Suportabilidade à sobrecarga nas portas fotovoltaicas.
  3. Suportabilidade à inversão de polaridade nas portas fotovoltaica.
  4. Suportabilidade a religamento automático fora de fase.
  5. Detecção e interrupção diante a falhas de isolamento nas portas fotovoltaicas.
  6. Detecção e interrupção de corrente residual excessiva na porta de conexão à rede.
  7. Injeção de componente contínua na porta de conexão à rede.
  8. Harmônicos e distorção de forma de onda de corrente na porta de conexão à rede.
  9. Fator de potência fixo na porta de conexão à rede.
  10. Fator de potência com curva do FP na porta de conexão à rede.
  11. Injeção/ demanda de potência reativa na porta de conexão à rede.
  12. Sobre/sub tensão na porta de conexão à rede 
  13. Sobre/sub frequência na porta de conexão à rede.
  14. Flutuação de tensão na porta de conexão  à rede.
  15. Perda de rede na porta de conexão à rede (ilhamento não intencional).
  16. Imunidade à variação de potência ativa em sub frequência na porta de conexão à rede.
  17. Controle de potência ativa em sobre frequência na porta de conexão à rede.
  18. Imunidade a sobre/subfrequência transitórias e taxa de variação de frequência na porta de conexão à rede.
  19. Imunidade a sobre/subtensões transitórias na porta de conexão à rede.
  20. Conexão e reconexão na porta de conexão à rede.
  21. Limitação de potência ativa na porta de conexão à rede.
  22. Modulação de potência reativa na porta de conexão à rede.
  23. Desconexão do sistema fotovoltaico na porta de conexão à rede.
  24. Eficiência de conversão .

2- Portaria 140/2022 INMETRO

Ensaios normatizados realizados:

  1. Inspeção visual 
  2. Suportabilidade à sobrecarga nas portas fotovoltaicas.
  3. Suportabilidade à inversão de polaridade nas portas fotovoltaicas 
  4. Suportabilidade a religamento automático fora de fase 
  5. Detecção e interrupção diante a falhas de isolamento nas portas fotovoltaicas
  6. Detecção e interrupção de corrente residual excessiva na porta de conexão à rede
  7. Injeção de componente contínua na porta  de conexão à rede
  8. Harmônicos e distorção de forma de onda de corrente na porta de conexão à rede
  9. Fator de potência fixo na porta de conexão à rede 
  10. Fator de potência com curva do FP na porta de conexão à rede
  11. Injeção/ demanda de potência reativa na porta de conexão à rede
  12. Sobre/sub tensão na porta de conexão à rede 
  13. Sobre/sub frequência na porta de conexão à rede
  14. Flutuação de tensão na porta de conexão à rede
  15. Perda de rede na porta de conexão à rede (ilhamento não intencional.
  16. Imunidade à variação de potência ativa em sub frequência na porta de conexão à rede
  17. Controle de potência ativa em sobre frequência na porta de conexão à rede
  18. Imunidade a sobre/subfrequência transitórias e taxa de variação de frequência na porta de conexão à rede
  19. Imunidade a sobre/subtensões transitórias na porta de conexão à rede
  20. Conexão e reconexão na porta de conexão à rede
  21. Limitação de potência ativa na porta de conexão à rede
  22. Modulação de potência reativa na porta de conexão à rede
  23. Desconexão do sistema fotovoltaico na porta de conexão à rede
  24. Eficiência de conversão – fotovoltaica para rede
  25. Suportabilidade à curto-circuito nas portas c.a. de conexão das cargas 
  26. Suportabilidade à inversão de polaridade nas portas c.c. de conexão das baterias 
  27. Qualidade de energia nas portas c.a. formação de rede c.a.
  28. Suportabilidade a sobrecargas nas portas c.a. formação de rede c.a.
  29. Eficiência de conversão – baterias para cargas c.a. 
  30. Transferência do modo autônomo para o modo conectado à rede
  31. Transferência do modo conectado à rede para o modo autônomo

2- Portaria 140/2022 INMETRO

Ensaios normatizados realizados:

  1. Inspeção Visual
  2. Suportabilidade à sobrecarga nas  portas fotovoltaicas
  3. Suportabilidade à inversão de polaridade nas portas fotovoltaicas
  4. Detecção e interrupção diante a falhas de isolamento nas portas fotovoltaicas 
  5. Detecção e interrupção de corrente residual excessiva na porta de conexão à rede
  6. Suportabilidade à curto-circuito nas portas c.a. de conexão das cargas
  7. Suportabilidade à inversão de polaridade nas portas c.c. de conexão das baterias 
  8. Qualidade de energia nas portas c.a. formação de rede c.a
  9. Suportabilidade a sobrecargas nas portas c.a. formação de rede c.a
  10. Autoconsumo
  11. Eficiência de conversão

2- Portaria 140/2022 INMETRO

Ensaios normatizados realizados:

  1. Inspeção Visual
  2. Proteção contra sobretensão nos terminais do gerador FV.
  3. Proteção contra inversão de polaridade do gerador FV.
  4. Proteção contra inversão de polaridade da bateria.
  5. Proteção contra inversão na sequência de conexão bateria e gerador FV.
  6. Proteção contra curto-circuito na carga.
  7. Autoconsumo.
  8. Perdas internas entre os terminais da bateria e os da carga.
  9. Determinação dos valores de HVD e HVR.
  10. Determinação dos valores de HVD e HVR – compensação por temperatura.
  11. Determinação dos valores de LVD e LVR.

Ensaios de desenvolvimento

Nossos laboratórios possuem tecnologia para realizar ensaios de eficiência e rendimento em inversores fotovoltaicos de até 90 kW. Além dessas normas de referência brasileiras, nossos ensaios podem atender às seguintes normas internacionais:

  • Eficiência de seguidor do ponto de máxima potência (SPMP) em condição estática e dinâmica
  • Eficiência total ponderada (Euro e CEC)
  • Ensaio de eficiência de conversão de inversores fotovoltaicos segundo as normas IEC 61683 para diversos pontos de operação
  • Ensaio de eficiência ponderada de conversão (CEC e EURO)
  • Determinação da máxima potência contínua de saída em alta temperatura, segundo a norma Sandia Test Protocol  “Performance Test Protocol for Evaluating Inverters Used in Grid‐Connected Photovoltaic Systems”

Programa setorial de qualidade

Visando colaborar na solução de problemas que a geração distribuída de energia apresenta atualmente, o INRI elaborou o Programa de Qualidade em Inversores Fotovoltaicos. Esse Programa visa ensaiar modelos de inversores disponíveis no mercado, sem fins de homologação, objetivando auferir sua qualidade de energia perante diversas situações de rede, sua segurança e o desempenho do inversor.

Para esse fim o programa é dividido em quatro módulos:

Módulo 1 – Portaria 140 do INMETRO de 2022

Entendemos que para testar qualidade em um inversor que comporá o sistema elétrico de potência, esse tem que atender aos requisitos mínimos para tal aplicação, que se resume a Portaria 140 vigente.

Módulo 2 – Funcionalidade

Nessa etapa do programa tem-se o objetivo de verificar o comportamento do inversor de acordo com situações imprevistas na rede elétrica. Os ensaios tratam dessas simulações e conseguem analisar com excelente detalhamento os parâmetros do inversor.

Módulo 3 – Segurança

Os ensaios de segurança são focados para garantir que nenhum incidente seja causado às instalações e ao operador que irá manejar o inversor. Para isso, testes criteriosos são aplicados no corpo de provas e busca-se verificar se o inversor é seguro de fato por meio da análise dos parâmetros de funcionamento.

Módulo 4 – Desempenho

Além de atender aos requisitos testados nos outros módulos, entendemos que o inversor tem que possuir um funcionamento satisfatório no maior número possível de casos em que seja aplicado.

Equipe

Leandro Michels
Dr. Eng.

Coordenador

Anderson Severo
Eng.

Gerente Técnico

Ricardo Bortolini
Dr. Eng.

Metrologista

Miréli Vendruscolo
Eng.

Metrologista

Instalações

Solicite um orçamento